terça-feira, 17 de março de 2009

Fiz a amiga da minha mãe gozar como puta...

  • Tudo começou quando estava passando por um momento delicado de minha vida, tinha acabado de me separar da minha esposa, estava passando por um período que eu tinha que provar pra mim mesmo que eu era o cara, e nada melhor do que comer uma mulher diferente e fazer muito gostoso, e estava a procura de alguém que pudesse me proporcionar isso. Num sábado à tarde, minha mãe pediu para eu ir com ela ao mercado comprar algumas coisas, depois de comprarmos o que precisávamos fomos para a fila do caixa, e minha mãe avistou uma amiga, foi quando conheci Nancy, me surpreendi, pois não sabia que minha mãe tinha uma amiga tão gostosa, mirei logo nos seus seios que pareciam querer saltar pelo decote de sua blusa, fiquei entorpecido olhando para aquela baixinha peituda, cabelos longos e uma bunda linda, tinha um corpo delicioso e um ar de safada que me deixava louco, não demorou muito para ela perceber que eu estava a comendo com os olhos, minha mãe nos apresentou e eu fui logo beijando seu rosto e sentindo seu perfume, ela sorriu e logo percebi que poderia surgir algo a mais do que um simples bate papo informal em uma fila de mercado, mas pra meu azar a fila andou rápido e ela se despediu e fui embora, fiz algumas perguntas pra minha mãe sobre ela, mas sem deixar minha mãe perceber meu interesse em sua amiguinha, não sei se consegui pois minha mãe é bem viva, minha esperança era saber se ela tinha namorado ou algo do gênero, seu telefone, endereço, mas apenas consegui saber que ela conheceu a Nancy no salão de beleza e que ela morava em um prédio perto do nosso, o que me deu esperança de reencontrá-la. A vida continuou e numa segunda-feira como as outras, acordo e me preparo para mais um dia de trampo, sai de casa pra pegar o ônibus e para minha surpresa quem estava dentro do ônibus, ela, a minha baixinha maravilhosa, trocamos olhares e ela novamente sorriu, me deixando louco outra vez, fui logo me aproximando dela e puxando assunto, ela correspondeu e fomos conversando até o centro da cidade, ela saltou um ponto antes do meu, desci do ônibus e me encaminhei pro meu serviço, trabalho em um Órgão Militar e assim que entrei no quartel avistei aquela bunda que me era familiar, apertei o paço para alcançá-la, ao chegar perto dela toquei em seu ombro e ao perceber que era eu ela me perguntou se a estava seguindo, sorri e fiz a mesma pergunta a ela, foi quando percebi que ela era militar e servia em um quartel perto do meu, foi o suficiente para trocarmos telefones e e-mails. Dali em diante começamos a nos falar e trocarmos e-mails diariamente, a intimidade foi aumentando mensagem a mensagem, quando percebi já estávamos trocando e-mail cheios de sacanagem. Em um certo dia ela me ligou me pedindo um favor, estava sendo transferida para outro quartel e tinha que esvaziar seu armário, e como toda mulher, tinha muitas coisas e não teria como levar de ônibus, combinei com ela e fui trabalhar de carro no dia combinado para poder levá-la até em casa, coisas no porta-malas ela sentou exuberante ao meu lado, fardada e cheirosa, naquele momento foi despertado em mim algo que não sabia que tinha, uma tara por mulher fardada, fomos conversando no caminho e minha mão estava doida pra pegar naquelas coxas grossas, não resisti e coloquei a mão em suas pernas, ela chegou a estremecer, foi quando percebi que ela estava afim, cheguei até o seu apartamento e ela me convidou para subir, de pronto aceitei, e para minha surpresa ela morava sozinha, sentei no sofá e ela me ofereceu um suco, muito educada, mas com cara de safada doida pra me dar aquela buceta e eu doido pra comer, quando ela sentou ao meu lado a puxei e fui logo dando-lhe um beijo, ela correspondeu e comecei a alisar aquele corpo maravilhoso, apertei aquela bunda maravilhosa, meu pau já estava duro como pedra e latejava dentro da calça, ela começou a me alisar e foi aproximando sua mão do meu pau, peguei em sua mão e coloquei sobre meu caralho duro, não agüentava mais pra sentir ela apertando ele, como uma louca no cio ela foi abrindo o zíper da calça e colocou ele pra fora e começo a chupar com muita vontade, que boca maravilhosa, ela chupava como poucas, puxei ela pra cima e fui tirando sua farda com tanta vontade que arranquei alguns botões, arranquei seu sutiã abocanhei aqueles seios maravilhosos e fartos, duros e firmes que me deixava louco de tesão e ela começava a gemer e sussurrar no meu ouvido, arranquei sua calcinha e comecei a alisar sua buceta que estava encharcada, ela foi ao delírio, enfiei o dedo indicador na sua gruta e ela gozou dando urros de prazer só com as dedas em sua buceta, que mulher, ela arrancou minha roupa e começou a dizer que queria sentir meu caralho grosso dentro dela e deitando-se no sofá me implorava para que eu comesse sua buceta, coloquei a cabeça na buceta dela e comecei a brincar com seu clitóris e esfregava meu caralho no seu grelo e ela ia ao delírio, gozava como uma vadia, e continuava a me implorar para comer aquela buceta maravilhosa, atendendo aos seu apelos cravei minha pica nela e ela soltou um grito de tanto prazer, ela gritava: soca esse caralho em mim, soca , soca, mete tudo, me fode todinha. Fiquei ali metendo nela e ela gozou novamente, em seguida ela me convidou para conhecer o quarto dela, disse que queria dar pra mim na cama dela, me puxou pela mão e me jogou na sua cama, abocanhou meu pau novamente e me sugava como uma faminta, engolia minha pica quase toda e me fazia ir a lua e voltar, puxei ela pra cima de mim e novamente comecei a comer aquela buceta que estava jorrando de prazer, ela cavalgava sobre mim e urrava a cada vez que ela sentava na minha pica, quando já não estava mais agüentando de tanto prazer eu disse a ela que iria gozar e perguntei a ela onde ela queria que eu derramasse o meu leite quente e ela me disse que queria engolir ele todinho, ela novamente abocanhou minha pica e começou a chupar deliciosamente até que eu gozei e derramei todo o meu leite na boca daquela vadia. Ficamos ali deitados um olhando para o outro, fiquei apreciando aquele monumento de mulher que eu acabava de comer, olhando aquela bunda maravilhosa, logo acendeu o meu desejo de possuir aquele cu, comecei a alisar aquela bunda e fui em direção ao seu cuzinho, massageando-o com o meu dedo, logo ela percebeu o que eu queria e me confessou algo que eu fiquei mais excitado, ela me disse que sempre teve vontade de dar o cu mas nunca tinha feito, pois tinha medo de sentir dor, então eu perguntei a ela se a vontade dela era maior do que o medo de sentir dor, e ela me disse que ela tinha muita vontade de dar o cu, mas odiava sentir dor, perguntei a ela se ela queria ter filhos e ela disse que sim, então disse que são duas coisas que ela quer muito mas teria que sentir um pouco de dor antes de ter um prazer inenarrável, e que valeria a pena ter um pouco de dor pra ter muito prazer, fui bem convincente e ela topou, improvisei um lubrificante com um protetor labial que estava a mão, lubrifiquei o cuzinho virgem dela enfiava o dedo e fazia movimentos circulares, quando percebi que ela já estava gemendo de prazer, lambuzei minha pica com o protetor labial e ela ficou cheirando a morango, rsrsrsrs... coloquei ela de quatro e ela empinava aquela bunda maravilhosa como que se estivesse implorando pra eu comer aquele cu, encostei a cabeça no anel dela e comecei a forçar até a cabeça entrar, ela gemia de dor e fazia uma cara de choro, pensei que ela fosse desistir, mas antes que isso acontecesse comecei a acariciar sua buceta e ela começou a relaxar, deixando que eu penetrasse todo o meu caralho no seu cuzinho ex virgem, comecei a dar estocadas num ritmo bem lento até que percebi que ela já estava gostando da minha pica dentro do seu cu, fui aumentando o ritmo e ela gemia como uma loba no cio, e dizia: come meu cu seu safado, fode ele todo, mete gostoso. Ela tocava siririca enquanto eu comia aquele rabo maravilhoso, quando eu já não estava mais conseguindo segurar o gozo percebi que ela começou a gritar e sua respiração ficou mais ofegante e ela gozou mais uma vez, sentia seu cu piscando com minha pica dentro, quando percebi que ela estava com tanto tesão que sua buceta jorrava e já estava escorrendo quase até o meio da coxa, a esta altura eu não segurei mais e gozei naquele cu gostoso enchendo ele de leite. Depois de refeita ela me disse que foi a transa mas deliciosa que ela teve e que se soubesse que dar o cu era tão bom ela já teria dado antes, mas foi bom ela não ter dado, pois assim pude ser o desbravador daquele cu maravilhoso. Assim foi a minha primeira foda com a Nancy, no dia seguinte ela me ligou e disse que estava cheia de vergonha e se dizia arrependida, ficou uma semana sem me ligar e não atendia meus telefonemas, já estava ficando desesperado só de pensar que não comeria aquela bunda novamente, quando ela me ligou e me pediu outro favor... Mas essa já é outra história...

0 comentários:

Postar um comentário

Esta Página contém posts e comentários.

  

voltar ao topo